Jovens protestam em Barcelona contra a morte de Samuel Luiz na Espanha

A Polícia Nacional da Espanha prendeu três jovens entre 20 e 25 anos suspeitos de participação no assassinato do jovem Samuel Luiz, de 24 anos, espancado até a morte no último sábado (3) em La Coruña. Segundo uma amiga, testemunha do crime, o rapaz, que era gay, recebeu ofensas homofóbicas enquanto era agredido.

Em nota publicada no Twitter, as autoridades confirmaram as prisões afirmando ainda que a investigação “continua aberta até o total esclarecimento dos fatos” e “que novas detenções nas próximas horas não estão descartadas”.

José Miñones, representante do governo da Galícia, que é uma comunidade autônoma espanhola, também comentou as prisões em suas redes sociais, afirmando que os agentes da Polícia Nacional trabalham “com as provas testemunhais e com as imagens captadas por celulares, câmeras da polícia local e de entidades privadas” da região em que aconteceu o crime.

Ontem, milhares de pessoas se reuniram nas ruas de cidades do país para protestar contra a morte por motivação homofóbica.

Samuel Luiz Muñiz, que nasceu no Brasil, foi agredido em frente a uma boate próxima ao centro da cidade de La Coruña, em um crime que segundo uma amiga do rapaz foi praticado por mais de dez agressores, que deixaram o jovem inconsciente e fugiram antes de o serviço médico chegar ao local.